Quando tempo se transforma em produtividade


Fisiologicamente cada indivíduo tem picos diários de alta e baixa produtividade consequentemente. Em sua grande maioria a escala de trabalho brasileira se divide em 4 horas matutinas e 4 horas vespertinas, porém, é comum em todo ambiente de trabalho notarmos pessoas que acordam a todo vapor, assim como aquelas que aumentam sua disposição no decorrer do dia.

Onde quero chegar, se cada pessoa possui um ritmo de trabalho, assim como horários específicos de maior e menor desempenho, cabe ao gestor da empresa identificar tais peculiaridades e molda-las para a realidade de seu escritório ou empresa.
Um exemplo comum para melhor me fazer entender. Em um escritório de contabilidade existe um colaborador que costuma iniciar o dia com um desempenho um pouco abaixo e aumenta-lo no decorrer do dia, após aquele café!

Cabe ao gestor incentivar o colaborador a fazer trabalhos que exijam um nível de concentração menor no inicio do expediente, como arquivar documentos ou responder dúvidas básicas aos clientes. Porém, com o aumento do nível de desempenho do colaborador, gradualmente o mesmo pode ir migrando (no decorrer do dia) a funções que exigem maior nível de concentração e velocidade, na linha do exemplo, apurar impostos, lançar extratos ou o movimento fiscal.

Parece difícil em um inicio, mas quando sua empresa chegar a esse nível de maturidade sua produtividade estará nas alturas!

Agora, para começar sempre é necessário dar o primeiro passo, que tal iniciar medindo a produtividade de cada colaborador? Para isso, conte com o Pollvo!